segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Ao lado de Henrique Alves, Wilma de Faria e Rafael Motta, Raimundo Fernandes realizou grande mobilização política em São Miguel

O deputado estadual e candidato à reeleição Raimundo Fernandes (PROS), reuniu na noite do último sábado (27) na cidade de São Miguel, 14 prefeitos do Alto Oeste que apoiam seu projeto de reeleição, para receber seus candidatos Henrique (Governador), Wilma (Senadora) e Rafael Motta (Deputado Federal).

Além dos 14 prefeitos, dezenas de vice-prefeitos, ex-prefeitos e vereadores representando mais de 30 municípios lotaram o palanque para dizer sim aos candidatos da “União pela Mudança”. Raimundo afirmou em seu discurso, que seus candidatos serão os mais votados da Região do Alto Oeste Potiguar.

“Se um homem que é presidente da Câmara dos Deputados, abre mão de uma reeleição certa para deputado e reeleição como presidente e vem para ajudar a recuperar o Rio Grande do Norte, eu devo ficar ao lado dele, pedir voto para ele, porque é o melhor candidato a governador, porque conhece os caminhos de Brasília. Não tenho dúvidas e ninguém duvide da disposição deste homem de servir ao Rio Grande do Norte”, disse Raimundo Fernandes ao defender a candidatura de Henrique ao Governo.

Ao encerrar o comício em São Miguel, Henrique agradeceu o apoio das lideranças e da população do município e reafirmou o compromisso de construir um governo que enfrente e resolva os maiores problemas do Rio Grande do Norte.

“Conheço a grave situação vivida pelo Estado nas áreas da Saúde, Segurança e Educação. Não quero ser governador para dar desculpas de que não posso resolver, mas para ter força para fazer, força para mudar. Por isso construí alianças e fui buscar apoios. Com a história que tenho e que construí quero ser governador para poder prometer e cumprir”, afirmou Henrique.

Ao criticar o clima de radicalismo que adversários insistem em manter na atual campanha, Henrique voltou a dizer que em seu palanque não há lugar para agressões contra quem quer que seja.

“Ao longo da minha história e da minha trajetória na vida pública do Rio Grande do Norte, eu ganhei e perdi, errei e acertei. Aprendi, São Miguel, que eleição não pode ser uma guerra porquê da guerra não sai um vencedor, mas um sobrevivente, mutilado sem condições nem autoridade para governar. Esse governador eu não quero ser. Aprendi que eleição é feita para construir e não para destruir, é feita para conquistar e não para impor”

Nenhum comentário: