quinta-feira, 14 de maio de 2015

RN reduziu o número de crimes em 12,52% no primeiro quadrimestre de 2015

O número de ocorrências policiais tipificadas como roubos, lesões corporais e Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI) caiu 12,52% no período de 1º de janeiro a 30 de abril deste ano, em relação ao primeiro quadrimestre de 2014.

De acordo com relatório de segurança apresentado ontem (13) pela Coordenadoria de Informações Estatísticas e Análises Criminal (Coine), em 2015, até o final de abril, aconteceram 4481 roubos, 14,98% a menos que no mesmo período do ano passado, com 3126 ações.

No caso de lesões corporais, a redução representou 8,73%, um decréscimo de 3126 para 2853 registros, enquanto as mortes violentas foram 10,47% menores, diminuindo de 592 para 529 óbitos.

O relatório apresentado pelo Coine destacou ainda um detalhamento por regiões do Estado, no número de CVLIs. No Agreste ocorreram 54 mortes, 12 a mais que em 2014, representando um acréscimo de 28,57%. Na Central Potiguar, o retrospecto também foi desfavorável, 27,27% maior. Em dados, foram 42 óbitos em 2015 e 33 no ano passado.

Já as áreas mais populosas obtiveram reduções. No Oeste Potiguar a variação quadrimestral marcou queda de 17,99% (139 para 114 óbitos) e na região Leste o percentual correspondeu a uma diminuição de 15,61% (378 para 319 casos).

Os Crimes Violentos Letais Intencionais, são divididos em cinco tipos de variação e tiveram redução geral de 10,47%. No caso de homicídios, a queda representou 5,77%, de 503 para 474 casos. As lesões corporais que resultaram em mortes diminuíram 68,42% (19 para 6 registros). Os latrocínios foram 41,67 menores, de 42 para 14 óbitos em 2015, assim como as ocorrências diversas, que caíram de 26 mortes para apenas quatro neste ano.

Apesar disso, também foi registrado aumento, nas ações típicas de Estado, quando ocorre confronto entre policiais e suspeitos. Neste caso, o acréscimo registrado foi de 55%, de 20 para 31 óbitos. 

No âmbito das CVLIs há diferenciação por tipo de instrumento causador. Por armas de fogo, 455 foram mortas até 30 de abril deste ano, número 10,26% menor aos 507 óbitos registrados no ano passado. Com armas brancas, o percentual teve uma redução de 11,11%, de 45 para 40 casos em 2014.


O mesmo ocorreu nos dados de homicídios por objeto contundentes (tacos, pedaços de pau e ferros), que diminuiu 7,14% (14 para 13 registros). A maior redução aconteceu nas variações de espancamento, com queda de 53,85% (13 para 6). Já as mortes por causas diversas cresceram 15,38%, com um aumento de 13 para 15 óbitos.

Nenhum comentário: