terça-feira, 20 de outubro de 2015

Professores da UERN rejeitam proposta do governo e continuam em greve

Os professores da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN) rejeitaram hoje (20), em assembleia, a proposta encaminhada pelo governo do Estado e definiram que continuarão o movimento paredista, iniciado no dia 25 de Maio.

A diretoria da Associação dos Docentes da UERN (ADUERN) apresentou, durante a assembleia, a contraproposta feita pela categoria aos representantes do Governo. De acordo com a proposição, as categorias dariam uma margem de tempo para o ajuste financeiro das contas do Estado.  O realinhamento referente ao acordo de 2014 seria realizado em duas parcelas nos meses de maio de 2017 e maio de 2018.

O Governo se comprometeu a enviar um documento oficializando seu compromisso em cumprir a proposta formulada pela categoria e considerada mais plausível inclusive pelos próprios auxiliares de Robinson. O documento enviado, porém, não estava de acordo com o que foi negociado com os docentes, que o rejeitaram.

Com isso, os docentes aguardam a decisão judicial do desembargador Cornélio Alves, que vai apreciar o pedido de ilegalidade da greve. A decisão judicial está prevista para esta quarta-feira (21). Caso seja decretada a ilegalidade, os professores devem retornar imediatamente às atividades, sob pena de multa e corte do ponto, mas ADUERN pode apresentar a defesa.

Técnicos da Uern aprovam fim da greve e retorno imediato às atividades

Os técnicos da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), reunidos em assembleia na manhã de hoje (20), decidiram aprovar o fim da greve e o retorno imediato às atividades.

O presidente do Sindicato dos Técnicos da UERN (SINTAUERN), Elineudo Melo, apresentou a última proposta encaminhada pelo governo do Estado, que prevê um abono de 12,035% (auxílio transporte)  aos servidores ativos e sinaliza a possibilidade, condicionada ao Limite Prudencial, de concessão do reajuste a partir de maio de 2017, a ativos e inativos.

Na proposta, o governo se compromete a realizar concurso público, para preenchimento de vagas provenientes de aposentadoria e falecimento, em fevereiro de 2016. Também consta na proposta, a liberação de recursos para conclusão de obras em andamento na Uern.

Mesmo não sendo a proposta idealizada pelos técnicos, em especial por não contemplar os aposentados, a maioria dos técnicos aprovou a proposta.

Nenhum comentário: