quarta-feira, 2 de março de 2016

Sesap divulga novo boletim epidemiológico com os números de casos de dengue, zika e chikungunya

A Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) divulgou na manhã desta quarta-feira (2) um novo boletim epidemiológico com os números sobre os casos de dengue, zika e chikungunya. De acordo com a pasta, somente neste ano já foram registradas 21 mortes suspeitas da dengue, sendo um óbito confirmado até o momento. Os dados são referentes ao período de 03 de janeiro a 27 de fevereiro de 2016.

O balanço mostra ainda que foram registradas 12.242 notificações de casos suspeitos de dengue. Destes, 725 foram confirmados, 232 descartados e os demais ainda estão em investigação. Já o número de notificações de febre do zika estão em 1.012 casos, no mesmo período, e 1.401 notificações de chikungunya.

O último boletim emitido pela Subcoordenadoria de Vigilância Epidemiológica (Suvige) registrou uma diminuição da quantidade de municípios com incidência silenciosa, ou seja, mais municípios notificaram casos, o que resulta da orientação repassada aos profissionais de saúde sobre a importância das notificações.

De acordo com o documento, até a Semana Epidemiológica (SE) 8, dos 167 municípios do Rio Grande do Norte, 119 notificaram casos de dengue, restando ainda 48 deles na chamada incidência silenciosa.

A Secretaria informou que intensificou a interação com municípios e outras instituições do estado a fim de unir forças no combate ao mosquito aedes aegypti. Diversas ações de educação e comunicação com a sociedade estão sendo articuladas com grupos sociais e instituições de ensino para orientar a população quanto ao combate ao mosquito aedes aegypti e conscientizar os profissionais de saúde para a importância da notificação dos casos.

Para a Sesap, a população tem feito a sua parte e se mostra vigilante na localização dos possíveis focos do mosquito. Em funcionamento desde o dia 18 de janeiro, a Sala Estadual de Coordenação e Controle para o enfrentamento da Dengue, Chinkungunya e Zika Vírus já recebeu mais de 200 denúncias através do disque denúncia 199, além de 760 recebidas através do aplicativo “Observatório do Aedes Aegypti”, desenvolvido pelo Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde (Lais) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

Nenhum comentário: