quinta-feira, 10 de novembro de 2016

Docentes da UFRN iniciam greve nesta sexta-feira

Os professores da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) deliberaram pela greve de sete dias, iniciando a partir desta sexta (11). A decisão aconteceu em plebiscito realizado entre os dias 7 e 9 de novembro, através de sistema eletrônico. Foram 721 (64,6%) votos a favor e 395 (35,4%) contra a deflagração da greve.

Entre os docentes que votaram a favor da greve, 492 (68,2%) optaram por um período de sete dias de paralisação. A apuração terminou na madrugada desta quinta-feira (10).

O movimento é nacional, integra a agenda da Frente Brasil Popular e das principais centrais sindicais, e é contra as propostas que tramitam no Congresso, como a PEC 55/2016, que tramitou na Câmara com o número 241; PLS 54/2016, o antigo projeto de lei complementar (PL) 257, que legisla sobre a renegociação da dívida dos estados e sinaliza para o mercado com medidas de contenção de custos que vão do arrocho salarial dos servidores públicos à privatização de empresas estatais; as Reformas da Previdência e do Ensino Médio; e a Lei da Mordaça.

"A nossa responsabilidade neste momento não é pequena. Depende do nosso poder de mobilização a construção de um amplo movimento de resistência”, avalia o presidente do Adurn, Wellington Duarte.

O dirigente chamou atenção, ainda, para a representatividade e a legitimidade do processo de consulta, que permitiu o posicionamento de um número expressivo dos docentes. "O resultado do plebiscito é, antes de tudo, a consolidação de uma forma democrática de consultar os professores e de reforçar o papel das assembleias na medida em que ela inicia o debate, cabendo à Direção do Sindicato dialogar com toda a categoria”, afirmou.

Para Wellington, “a vitória do sim com expressiva maioria reafirma a posição da nossa Diretoria em fazer parte dessa grande Mobilização contra a PEC-55/16. Caberá ao sindicato e aos professores mobilizarem a UFRN para que a greve seja, antes de tudo, um ato em defesa do futuro da UFRN e daqueles que a constroem”. Segundo o professor, a diretoria manterá a categoria mobilizada nos sete dias de greve.

Além da realização de um ato político-cultural na sexta (11), o sindicato, em conjunto com o Diretório Central dos Estudantes da UFRN e a ATENS farão atividades durante todos os dias de paralisação, com aulões, cinema e apresentações culturais. Na sexta, as mobilizações deverão ser encerradas com a realização de uma Assembleia de avaliação do movimento.

Participaram os professores sindicalizados e não sindicalizados. Somando ativos e aposentados, ao todo são 3.933 aptos a votar.

Nenhum comentário: