segunda-feira, 1 de maio de 2017

Governo Temer tem aprovação de 9% e reprovação de 61%, diz Datafolha

A pesquisa do instituto Datafolha divulgada neste domingo (30) pelo jornal "Folha de S.Paulo" mostrou os seguintes percentuais de avaliação do governo do presidente da República, Michel Temer (PMDB):

Ruim/péssimo: 61%
Regular: 28%
Ótimo/bom: 9%
Não sabe: 3%

Em dezembro, a pesquisa anterior do Datafolha sobre a aprovação do governo Temer apontou que 10% o consideravam bom ou ótimo; 51% o consideravam ruim ou péssimo; e 34% avaliavam o governo como regular.

71% são contra a reforma da Previdência

A pesquisa do Instituto Datafolha mostrou também que 71% dos brasileiros são contrários à reforma da Previdência e 23%, a favor. Veja os índices:

Contra: 71%
A favor: 23%
Não sabe: 5%
Indiferente: 1%

Segundo o Datafolha, 73% das mulheres e 69% dos homens são contrários à reforma. A rejeição é maior entre os mais escolarizados (76% entre os que têm ensino superior, 73% entre os que têm ensino médio e 64% entre os que têm ensino fundamental).

O instituto quis saber os principais pontos de crítica entre os entrevistados. São eles:
Contribuição de 40 anos exigida para receber aposentadoria integral: 60%
Idade mínima de 65 anos para homens: 27%
Idade mínima de 62 anos para mulheres: 25%
Todas essas propostas da reforma: 23%

Segundo o Datafolha, 66% tomaram conhecimento da proposta, sendo que estão:

Mais ou menos informados: 39%
Bem informados: 18%
Mal informados: 9%

Segundo o Datafolha, entre os que se dizem informados, 78% são contra a reforma. Para a maioria dos entrevistados, militares, policiais e professores deveriam ter as mesmas regras de aposentadoria. A maior parte dos ouvidos (52%) também diz que o brasileiro se aposenta mais tarde do que deveria; 38% acham que isso ocorre na idade adequada e 8%, mais cedo do que deveria.

Reforma trabalhista - O Datafolha também questionou os entrevistados sobre a reforma trabalhista. Para 64%, ela privilegia mais os empresários que os trabalhadores; 21% consideram que o trabalhador será mais beneficiado.

Segundo a pesquisa, 58% acham que terão menos direitos com a reforma e 21%, que terão os mesmos direitos que terão hoje; 11% acham que terão mais direitos.

O Datafolha ouviu 2.781 pessoas nos dias 26 e 27 de abril de 2017. A margem de erro da pesquisa é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

Nenhum comentário: